P2016-008A – “Iracema”, de José de Alencar (Parte 1 de 2)

Primeira parte da análise sobre o clássico “Iracema”, de José de Alencar. Conheça o belo mito de criação que pertence ao romantismo na literatura brasileira.

Ficha técnica – “Iracema” ou “Iracema, lenda do Ceará” – 1865 – José de Alencar.

(Parte 1)

P2016-008-A

 

Edição de referência

Várias edições.

 

Apresentação, produção e edição

Luciene Teixeira.

Leobaldo Prado.

Estéfani Martins.

 

Convidados

Bruno Curcino, professor de Literatura.

Cirlei Garcia, professora de Literatura.

Leda Costa, professora de Redação.

 

Músicas

1 – Ennio Morriconne – “The Mission” – 1986 – Tema principal.

2 – James Newton Howard – 2006 – “Blood Diamond”.

3 – Heitor Villa Lobos – 1917 – “Uirapuru”.

4 – James Horner – “Braveheart” soundtrack – 1995 – “For the love of a princess”.

5 – James Horner – “Avatar” soundtrack – 2009 – “Becoming one of the people”.

6 – Os Tápes – “O canto da gente” – 1975 – “Dança da Lagoa do Sol”.

7 – Jacob Reuven – Mandolin with Raanana Symphonette Orchestra – 2013 – “Fado instrumental”.

8 – Yanni & Enya – “Dances with wolves” soundtrack – 1990 – “Dances with wolves”.

9 – Sepultura – “No coração dos deuses” – 1999 – “O Desconhecido”.

https://www.youtube.com/watch?v=WVLx7wFppaU

10 – Sepultura – “No coração dos deuses” – 1999 – “Gibão de couro”.

11 – Sepultura – “No coração dos deuses” – 1999 – “Índios”.

12 – Alberto Iglesias – “The kite runner” soundtrack – 2007 – “Kite shop”.

Referências teóricas

1 – “Discurso sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade entre os Homens” – 1754 – Jean-Jacques Rousseau.

2 – “Tal é o livro do Sr. José de Alencar, fruto do estudo e da meditação, escrito com sentimento e consciência… Há de viver este livro, tem em si as forças que resistem ao tempo, e dão plena fiança do futuro… Espera-se dele outros poemas em prosa. Poema lhe chamamos a este, sem curar de saber se é antes uma lenda, se um romance: o futuro chamar-lhe-á obra-prima.” – 1866 – Machado de Assis (Diário do Rio de Janeiro).

3 – “O cortiço” – 1890 – Aluísio de Azevedo.

4 – “Cidade e as Serras” – 1901 – Eça de Queirós.

5 – “Helena” – 1876 – Machado de Assis.

6 – “Iaiá Garcia” – 1878 – Machado de Assis.

7 – “Sonhos d’Ouro” – 1872 – José de Alencar. (“Benção paterna”, introdução sobre a própria obra, mas também das intenções literárias do autor.)

8 – “Til” – 1872 – José de Alencar.

9 – “Formação da literatura brasileira” – 1975 – Antônio Candido.

10 – “O povo que chupa o caju, a manga, o cambucá e a jabuticaba pode falar uma língua com igual pronúncia e o mesmo espírito do povo que sorve o figo, a pera, o damasco e a nêspera?” – José de Alencar.

11 – “O conhecimento da língua indígena é o melhor critério para a nacionalidade da literatura. Ele nos dá não só o verdadeiro estilo, como as imagens poéticas do selvagem, os modos de seu pensamento, as tendências de seu espírito, e até as menores particularidades de sua vida. É nessa fonte que deve beber o poeta brasileiro é dela que há de sair o verdadeiro poema nacional, tal como eu o imagino.” – José de Alencar.

12 – “O guarani” – 1857 – José de Alencar.

13 – “Ubirajara” – 1874 – José de Alencar.

14 – “Olhar 43” – “Revoluções por minuto” – 1985 – RPM.

https://www.youtube.com/watch?v=Xin46vgD8p4

15 – “Senhora” – 1875 – José de Alencar.

16 – “Lucíola” – 1862 – José de Alencar.

 

Indicações

As indicações estarão na parte 2 deste programa.

 

Divulgue o Verso da Prosa

Assine nosso feed no iTunes e no seu agregador de podcasts preferidos.

http://versodaprosa.com.br/feed/podcast

https://itunes.apple.com/br/podcast/verso-da-prosa/id1084762842?mt=2

 

Ouça nossos outros episódios também no nosso site www.versodaprosa.com.br

 

Recados, sugestões, críticas, socializações e afins

https://www.facebook.com/versodaprosa/

https://twitter.com/versodaprosa

https://www.instagram.com/versodaprosa/

versodaprosa@gmail.com .

 

Ouça as trilhas temáticas e dos episódios no Spotfy

Em breve.

 

Colabore com a nossa aventura no Padrim ou no Patreon

Em breve.

 

 

 

2 comments on “P2016-008A – “Iracema”, de José de Alencar (Parte 1 de 2)Add yours →

  1. Oi Gente, estou fazendo uma visitinha por aqui.
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens
    Gosto muito desse tipo de conteúdo um Abraço 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *